bio
turnee
discografiaa
galeria
WhatsApp Image 2016-12-27 at 17.15.40
bdtm
stmbanner

Origin

Origin é um álbum de demonstração da banda, lançado em 4 de novembro de 2000 no River Market Pavillion, de Little Rock, através da gravadora Bigwig Enterprises, com apenas 2500 cópias que foram comercializadas em concertos ao vivo da banda na mesma cidade, e no website oficial da gravadora, hoje extinta.

A gravadora parou de vender o Origin no início de Fevereiro de 2003 (um ou dois dias antes do álbum da trilha sonora do filme Daredevil ser lançado).

“Origin é uma coletânea das nossas melhores gravações caseiras de 2000; ainda estávamos tentando encontrar a nós mesmos – aprendendo a escrever”, Amy Lee

Devido ao número limitado de cópias e ao sucesso da banda, unidades originais e falsificadas do álbum até hoje são comercializadas, após o lançamento de Fallen tornou-se quase impossível encontrar cópias originais.

Embora seja comumente referido como um álbum de estúdio, Amy Lee se refere a ele apenas como sendo uma coleção de demos e aconselha os fãs simplesmente a baixar o álbum pela Internet, ao invés de comprá-lo.

O disco contém as primeiras versões de “Whisper”, “Imaginary” e “My Immortal”, que foram incluídas posteriormente no álbum de estreia da banda, Fallen, bem como uma versão regravada da canção “Where Will You Go?”, que anteriormente apareceu no Evanescence EP de 1998, ganhando uma nova versão. A versão original do álbum possui uma “faixa escondida”, que está pode ser ouvida ao rebobinar a primeira faixa do álbum ao contrá-

rio (podendo ser ouvida 24 segundos antes da faixa Origin), trata-se do trecho de uma gravação de Anywhere, em que Amy e David cantam, após fazer um backing vocal horrível, David cita um trecho do filme My Boyfriend’s Back: “There’s a lot of prejudice against the undead” (há muito preconceito contra os mortos-vivos).

Três faixas foram omitidas do álbum, são elas: “Listen to the Rain” (que deveria ser tocada ao final de Eternal), “Demise” (uma faixa à parte do Origin mas que foi adicionada a Eternal, constituindo assim o seu terceiro segmento) e “Catherine” (que nunca foi lançada mas que originalmente estaria no Origin)

Faixas:

Origin é uma faixa instrumental de 35 segundos, ela é apenas um introduç ão com alguns barulhos que criam uma boa atmosfera para a segunda música, Whisper.

Essa versão é diferente da do Fallen em certos aspectos. O uso eletrônico dá um clima mais sombrio tanto para a voz de Lee quanto para a canç ão. No Origin a música é mais lenta e a bateria tem mais destaque (o que é comum em gravaç ões caseiras). A música é boa e tem um refrão legal, além de possuir um belo solo.

Começa com o piano e a voz tranquila de Lee, até que a banda entra dando certo peso a música. Aqui, Amy eleva sua voz em vários momentos. Destaque para o pequeno coro durante o solo. Mais uma boa música, que acabou ficando mais dinâmica no álbum Fallen.

A versão do Origin é mais simples do que a do Fallen, porém igualmente bela. Ouve-se apenas Amy e o piano, mas isso não impede o ouvinte de ficar emocionado.

Toques eletrônicos estão disfarçados em toda a música. Os backing vocals de David Hodges ajudam a conduzir ainda melhor a música. O refrão é muito viciante, apesar de não parecer proposital. A mistura da bateria com a guitarra e o piano é muito bem executada.

Os acordes são excentes e muito atrativos, assim como a voz de Lee. A voz da bela vocalista soa muito atrativa. Mais uma vez, os pequenos coros elevam a música.

Em torno dos 2:27 de música, as guitarras começam a tomar conta, e no Origin elas tem um som mais parecido com “nu-metal”; as cordas duras misturadas com uma linha de piano simples no fundo fornecem um excelente contraste e constroem uma plataforma perfeita para o retorno do cantar angelical de Lee. Enquanto a canç ão vai chegando ao fim, tudo começa a se desvanecer e logo o ouvinte fica com o som repetitivo que começou a faixa, e então tudo cai em silêncio.

Essa faixa começa calma e vai crescendo, até chegar no viciante refrão. A bateria ajuda no clima da música e Hodges vai muito bem nos backing vocals.

Pode ser a música mais ameaçadora e ao mesmo tempo sombria do Evanescence. A canç ão é muito melancólica, com as guitarras afiadas e o coro de Amy. Os vocais de Lee são mais profundos, e a bateria se torna mais estrondosa e as guitarras explosivas. A canç ão também apresenta um vocal interessante parecido com gultural, o que é incomum a qualquer outra canç ão da banda.

Mais uma canç ão cujo início tem toques eletrônicos. Nessa música, Amy consegue cativar ainda mais o ouvinte com sua voz, que soa incrivelmente natural.

Esta é a última música do Origin. É composta em três partes – uma introduç ão extremamente impressionante e dançante, uma bela e cristalina parte no piano (que é mais silencioso e retraído), além dos sons de chuva e trovões no fundo. A terceira parte era originalmente um canç ão separada, chamada Demise.

Faixas Descartadas:

*Demise é uma faixa instrumental, ela não entrou para o álbum Origin separadamente, mas foi inserida na continuação da faixa Eternal.

Esta faixa era cogitada para entrar para este álbum. Trata-se de uma canção feita por Amy Lee e cantada pelos alunos do colégio de Amy, no qual ela foi a presidente.

*Essa música talvez tenha sido gravada, mas nunca foi lançada publicamente. Uma das únicas músicas que Amy Lee e Ben Moody escreveram juntos, e que se pensou adicionar ao Origin. Segundo Amy Lee, eles só a tocaram umas poucas vezes para aproximadamente 25 pessoas em um café em Little Rock.